A Origem Do HomemImprimir
O Estado Do Homem Após A Morte (Parte I)


I – INTRODUÇÃO

De onde viemos e para onde vamos tem sido um assunto fascinante, e tem ocupado a mente do homem desde tempos imemoriais. As falsas teorias sobre a natureza física do homem têm dominado as religiões pagãs e a especulação filosófica tem influenciado o próprio cristianismo, com suas teologias pervertidas dentro de muitas religiões.

Embora a maioria creia, nos dias atuais, que o homem se originou das formas inferiores de vida animal, como resultado de processos naturais que se estenderam ao longo de bilhões de anos, semelhante idéia não pode, de forma alguma, ser harmonizada com o relato bíblico.

Que é, pois, o homem? Esta pergunta foi feita pelo salmista séculos atrás, e por ele parcialmente respondida:

“Quando vejo os Teus céus, obra dos Teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; que é o homem mortal para que Te lembres dele? E o filho do homem para que o visites? Contudo, pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste. Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das Tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo, as aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares. Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o Teu nome sobre a Terra!” Salmos 8:3-9.

Por estes versículos notamos que o homem foi feito por Deus. Ele é digno da atenção divina; tem a possibilidade de comunicar-se com Deus.

Quase desnecessário é acrescentar que, em toda a exposição deste tema, a Bíblia será considerada a autoridade máxima.


II – QUE É O HOMEM?

O primeiro livro da Bíblia apresenta a história da criação: “No princípio criou Deus...” Gênesis 1:1. Dia a dia prosseguiu a criação até ao sexto dia, quando “criou, pois, Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:27.

No segundo capítulo de Gênesis, a criação do homem é mencionada um pouco mais pormenorizadamente: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.” Gênesis 2:7.

De acordo com o registro bíblico, o homem foi criado por Deus e formado do pó da terra. Deus soprou em suas narinas o fôlego da vida e o homem foi feito alma vivente.

A Bíblia ensina que o ser humano é uma unidade indivisível. A esse respeito o apóstolo Paulo declara o seguinte:

“O mesmo Deus da paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” I Tessalonicenses 5:23.

É ensinamento bíblico que nenhuma parte do homem deve ser excluída da influência da santificação.


III – DEUS FORMOU O HOMEM DO PÓ DA TERRA

Para formar o corpo do homem, Deus utilizou de matéria existente. Deus tomou o pó da terra e com ele modelou o ser que chamou de “homem”.

O homem foi feito do pó da terra, sendo, portanto, da terra (Salmos 10:18). Seu corpo consiste dos elementos da terra, cujas exatas proporções são conhecidas. Segundo as melhores autoridades, foram encontrados 34 elementos químicos no corpo humano. Os principais são:

Oxigênio: 66,0 %
Carbono: 17,5 %
Hidrogênio: 10,2 %
Nitrogênio: 2,4 %
Cálcio: 1,6 %
Fósforo: 0,9 %
Potássio: 0,4 %
Sódio: 0,3 %
Cloro: 0,3 %
Enxofre: 0,2 %
Magnésio: 0,105 %
Ferro: 0,005 %
Há ainda outros elementos que, apesar de importantes, aparecem em quantidades bastante reduzidas. É o caso do manganês, cobalto, iodo, flúor, cobre, alumínio, níquel, bromo, zinco, silício e outros..

Todos estes elementos estão contidos na terra. É, portanto, estritamente e literalmente verdade que o homem é formado do pó da terra.


IV – DEUS SOPROU NAS NARINAS DO HOMEM O FÔLEGO DA VIDA

A Bíblia muitas vezes refere-se ao fôlego da vida como sendo o espírito do homem. É um termo que representa a energia divina, a energizante centelha de vida que é essencial à existência de todos os seres viventes. A palavra espírito vem do hebraico “ruach” e do grego “pneuma”. No Antigo Testamento, a palavra hebraica “ruach” aparece 377 vezes e é traduzida como: vento, fôlego ou espírito. No Novo Testamento, a palavra “pneuma” é igualmente traduzida como: espírito ou respiração.

Nem no Antigo nem no Novo Testamento “ruach” ou “pneuma” se referem a alguma entidade inteligente capaz de existir independentemente do corpo.

A união do fôlego da vida com o barro inanimado tornou o homem uma alma viva, uma personalidade responsável, capaz de compreender e apreciar a Deus, capacitando-o a pensar, querer e amar.

Esse fôlego de vida é o “sopro do Todo-Poderoso” (Jó 33:4), a centelha de vida. É a energia que Deus pôs nos seres viventes, quando os criou no princípio. Podemos compará-la com as correntes de eletricidade que fluem através dos vários componentes elétricos, os quais trazem som e movimento àquilo que antes era apenas material morto.

Jó assim descreve seu estado de ser vivente: “Enquanto em mim houver alento, e o sopro de Deus no meu nariz...” Jó 27:3.

A equação apresentada pelas Escrituras Sagradas é muito clara:

O pó da terra (elementos terrestres) + fôlego de vida = ser vivente ou alma vivente.

As atividades exercidas pelo cérebro e sistema nervoso do homem estão ativas desde que nele esteja o fôlego que o mantém em vida.

A Bíblia diz que, quando o fôlego de vida deixa o homem, ele morre e seus pensamentos perecem:

“Sai-lhe o espírito, e ele volta para a terra; naquele mesmo dia perecem os seus pensamentos.” Salmos 146:4.

“E o pó volte para a terra como o era, e o espírito volte a Deus que o deu.” Eclesiastes 12:7.

Na morte, ocorre o oposto do que aconteceu quando Deus deu vida a Adão, o primeiro homem. Quando o espírito (fôlego de vida) volta para Deus, a criatura volta ao pó, e sem este fôlego a pessoa não mais existe como criatura viva, consciente e pensante.

É interessante destacar que, além do ser humano, os animais também têm o “fôlego de vida”:

“E expirou toda a carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado e de feras, e de todo o réptil que se arrasta sobre a terra, e todo homem. Tudo o que tinha fôlego do espírito de vida em suas narinas, tudo o que havia na terra seca, morreu.” Gênesis 7:21 e 22.

“Pois o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais; uma e a mesma coisa lhes sucede; como morre um, assim morre o outro; todos têm o mesmo fôlego; e o homem não tem vantagem sobre os animais, porque tudo é vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó, e todos ao pó tornarão.” Eclesiastes 3:19=20.

A vida dos seres humanos e dos animais depende do mesmo fôlego de vida. Perdendo-o o homem, tal como acontece com os animais, ele morre. Embora o ser humano tenha o mesmo fôlego de vida do que os animais, entre ambos, porém, há uma enorme diferença. O homem foi criado à imagem de Deus; os animais não o foram.


V - O HOMEM TORNOU-SE ALMA VIVENTE

Antes de o fôlego da vida haver sido conferido pelo próprio Deus, o corpo inanimado jazia prostrado no chão, incapaz de funcionar, sem personalidade, sem vida. Os órgãos se achavam presentes: coração, pulmões, rins, fígado, baço, cérebro, etc, todos perfeitos, mas sem vida. Veio então de Deus o fôlego comunicador de vida, e o homem tornou-se um indivíduo, uma personalidade, uma alma viva. Quando lemos atentamente Gênesis 2:7, verificamos que o texto não diz que o homem tem uma alma, mas sim, veio a ser uma alma vivente.

O corpo, o espírito e a alma são partes indivisíveis do ser humano. O escritor do livro aos Hebreus escreveu o seguinte:

“Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” Hebreus 4:12.

No Antigo Testamento, a palavra hebraica “nephesh” ocorre 755 vezes e é traduzida de diferentes formas, dependendo do contexto. Ela é traduzida mais freqüentemente como “vida” (ex.: Gênesis 9:4 e 5: Salmos 31:13). Em outros momentos é traduzida como “pessoa” (ex.: Gênesis 14:21).

No Novo Testamento, a palavra grega “psyche” é semelhante à palavra hebraica “nephesh” e é traduzida como “vida” ou “vidas” (ex.: Mateus 26:38) e também como “pessoa” (ex.: Atos 2:41).

Assim como o homem foi feito alma vivente, também o foram os animais. As palavras hebraicas correspondentes a “alma vivente” são “nephesh chaiyah”, e são usadas quatro vezes no primeiro capítulo de Gênesis para descrever as formas inferiores de animais. (ver Gênesis 1:20, 21, 24 e 30. Essas palavras ocorrem, também em Gênesis 2:19, onde Adão dá nome a toda a “alma vivente”. Também em Gênesis 9:10, 12, 15 e 16 e Levítico 11:46 são os animais chamados “almas viventes”. Em cada um desses exemplos a Bíblia na versão inglesa traduziu como “seres viventes”, mas a expressão no original hebraico é a mesma usada para o homem em Gênesis 2:7 – “alma vivente”.


VI – CONCLUSÃO

Nosso estudo até aqui nos levou à conclusão de que o homem é criatura de Deus. Ele foi feito do pó da terra, assim como os animais e lhe foi soprado nas narinas o fôlego da vida, tornando-se conseqüentemente uma alma vivente. Deus, semelhantemente, deu a todos os animais o mesmo fôlego da vida e eles também são chamados de almas viventes.

A grande diferença é que o homem foi criado à imagem de Deus, formado do pó da terra com capacidade para raciocinar e conversar com Deus. Além disso, somente aos seres humanos tem sido dada a promessa da vida eterna, àqueles que voluntariamente permitirem ser santificados inteiramente por Deus e achados plenamente conservados irrepreensíveis para vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.



E-Folheto (Folheto eletrônico)
Entregue um folheto deste estudo bíblico pela internet através do e-mail.
É fácil, basta informar o e-mail no campo abaixo e clicar em enviar.
Remetente:
Nome*:
E-mail:
Destinátario:
Nome:
E-mail*:
(*)Preenchimento obrigatório

Fale conosco:
Nome:
Cidade/UF:
E-mail: (Seu e-mail não será divulgado)
Pergunta ou Comentário:
Deseja publicar sua pergunta ou comentário?
 
E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. (Mat 24:14)
contato@verdadeemfoco.com.br